A fim de aumentar a capacidade de transações por segundo, o softswitch, em ambas suas implantações (Atacado e STFC), operam com o proxy registrando bilhetes em arquivos temporários e com processo em paralelo de persistência de dados (CDRs e Estatísticas) no Banco de Dados. Este modelo, conhecido como Flat Store, reduz o impacto que algumas ações feitas por usuários no banco de dados possam causar na escrita dos CDRs e com isso o desempenho do proxy. Este recurso aumenta significativamente a capacidade de CPS e de tratamento de chamadas em paralelo por cada instância de proxy.

Opcionalmente o proxy pode ser configurado para operar de forma independente do Banco de Dados em duas arquiteturas. Ambos modelos permitem a operação do proxy sem conexão ao banco de dados principal, permitindo que a operação continue ativa mesmo em caso de perde de capacidade operacional do banco de dados ou perda de acesso ao mesmo. 

Nos modelos Read Réplica e Caching, é necessário que os componentes Proxy e Banco de Dados estejam em ambientes físicos diferentes, além de exigir maior controle operacional sobre a plataforma pela equipe de operação do cliente. Enquanto operando sem conexão entre o Banco de Dados e o Proxy, os gestores do ambiente perdão acesso aos dados estatísticos e a capacidade de atualizar as configurações do Proxy operando independente. Porém o sistema continuará processando chamadas (atendendo as demandas dos clientes) e gerando CDRs, armazenados no servidor do Proxy.

È importante destacar que a operação do proxy de forma independente é limitada no tempo. Uma vez que o proxy armazena localmente os CDRs gerados, sem a transferência de dados para o Banco de Dados por um período prolongado, a capacidade de armazenamento de CDRs no proxy ficará comprometida, ocasionando a perda de dados de CDR.

É fundamental e indispensável que a equipe operacional do Cliente monitore a constantemente a comunicação entre o Banco de Dados e os Proxys, de modo que caso de exceção, tome as medidas necessárias para restabelecer a comunicação. 

Os recursos de Read Replica e Caching foram implantado para aumentar a continuidade operacional do ambiente, mas deve ser encarado, quando acionado, como operação em contingência. Caso a equipe do Cliente não esteja habilitada a operar este modelo, inclusive capacitada a monitorar e agir sobre eventos de exceção, o modelo não será implantado. A responsabilidade por qualquer evento decorrente da necessidade da operação independente entre Proxy e Banco de Dados será sempre do Cliente.

Em qualquer modelo operacional o Proxy pode ser configurado para suportar até 200.000 usuários registrados, 500 CPS e 5.000 chamadas em paralelo em sinalização e/ou conversação, conforme capacidade operacional do servidor que o suporta. Este volume pode variar conforme características de trafego e operações, inclusive dentro de uma mesma operação ao longo do tempo Especialmente considerando que no ambiente de telefonia VoIP, há eventos que não podem ser controlados no nível do softswitch e mesmo no âmbito da operação do Cliente.  Siga sempre as recomendações da SIPPulse para a infraestrutura de suporte operacional da plataforma.